Salvador

Prefeitura acusa sindicalistas de tirarem alunos à força de sala; APLB pede compostura da secretaria

[Prefeitura acusa sindicalistas de tirarem alunos à força de sala; APLB pede compostura da secretaria]
12 de Julho de 2018 às 16:54 Por: Divulgação Por: Redação BNews0comentários

Na tarde desta quinta-feira (12), a Secretaria Municipal da Educação (Smed) enviou nota à imprensa repudiando a "truculência e o radicalismo de um pequeno grupo de manifestantes de perfil político-partidário que estão tentando impedir a entrada de alunos, professores e gestores da rede municipal em algumas escolas". 

Segundo a nota, os sindicalistas estariam tendo atitudes agressivas e desrespeitando os estudantes, professores e gestores que querem estudar e trabalhar.

"É lamentável esse tipo de atitude. Repudiamos veementemente essas ações. Nossos alunos e suas famílias que estão sendo prejudicadas por uma minoria, que está, na realidade, fazendo política-partidária e para isso prejudica a população", criticou Bruno Barral, secretário municipal da Educação.  

Ao BNews, a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Bahia (APLB), Elza Melo, negou as acusações da prefeitura. "Não existe, isso nao é verdadeiro, essa informação não procede. É preciso que a Secretaria de Educação tenha uma certa postura, no sentido de não tratar o nosso movimento desa forma. Nós somos uma categoria que tem responsabilidade, que é séria. A gente faz um movimento legitimo, que é necessário. Nós não estamos fazendo uma luta que não tenha sentido, que não tenha objetivo, nós estamos em uma situação dificil na rede municipal, sem reajuste salarial, com condições de trabalho pessimos, sem os direitos sendo atendidos e nós não estamos fazendo isso". 

Elza explicou que a categoria não está fazendo piquete nas escolas, que está fazendo caravanas em pólos específicos, com distribuiçaõ de cartas à comunidade e com carro de som informanda para a população sobre o movimento da categoria.

"Nós não estamos usando a força, coagindo ninguém. Nós estamos tratando com urbanidade, no diálogo e no convencimento. Em absoluto nós vamos tratar os nosso alunos dessa forma", finalizou a diretora do APLB.

Greve

Os professores da rede municipal de ensino de Salvador entraram em greve na quarta-feira (11). Em uma carta direcionada aos pais e alunos, os docentes enfatizam que a "responsabilidade pela interrupção das aulas é única e exclusivamente do prefeito de Salvador".  A categoria afirma que há três anos não tem reajuste no salário e no auxílio alimentação. 

Uma assembleia geral deve ocorrer na tarde desta quarta no Ginásio dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos, para discutir os rumos do movimento grevista.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas