Política

Bolsonaro diz que Enem não deve gerar brigas e divergências desnecessárias

[Bolsonaro diz que Enem não deve gerar brigas e divergências desnecessárias]
09 de Novembro de 2018 às 19:45 Por: Wilson Dias/Arquivo Agência Brasil Por: Redação BNews0comentários

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) voltou a criticar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a dois dias da aplicação das provas de matemática e ciências da natureza. Em transmissão ao vivo em suas redes sociais, nesta sexta-feira (9), ele avisou que, ao assumir o governo, não permitirá a inclusão de determinadas questões no exame. 

Na avaliação de Bolsonaro, o Enem deve tratar sobre “o que interessa”, citando geografia e história, por exemplo, pois o Brasil é um “país conservador” e seu objetivo como presidente é pacificar. Ele acredita que questões polêmicas geram brigas e divergências desnecessárias, se referindo à questão de linguagens que mencionava o "pajubá, dialeto secreto de gays e travestis" como exemplo de patrimônio linguístico.

Com a justificativa que a educação deve se preocupar em “ensinar”, o presidente eleito também censurou as discussões sobre ideologia de gênero nas escolas. “Que importância tem ideologia de gênero?”, questionou. Na opinião dele, “quem ensina sexo é papai e mamãe”.

As universidades também foram alvo do novo presidente. Ele lembrou uma visita feita à Universidade de Brasília (UnB), quando se disse surpreso por ter visto maconha, “preservativo no chão e cachaça na geladeira”. Por isso, disse que parte das universidades não se preocupa com educação.

Para Bolsonaro, a escolha do futuro ministro da Educação será um desafio. “Educação é complicado”, falou.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas