Política

APLB nega boicote à Prova Brasil e promete processar Alexandre Aleluia

[APLB nega boicote à Prova Brasil e promete processar Alexandre Aleluia]
17 de Julho de 2017 às 10:31 Por: Cíntia Kelly0comentários

Um manifesto convocando alunos da rede municipal de Salvador a boicotarem a Prova Brasil, que subsidia o calculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), na tentativa de atingir a gestão municipal tem circulando nas redes sociais. Há quem atribua o manifesto ao  Sindicatos dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), a exemplo do vereador Alexandre Aleluia.

O líder do DEM na Câmara, Aleluia disse que vai acionar o Ministério Pubico , “para que seja investigada a ação do Sindicato dos Professores (APLB) que estimula alunos da rede municipal de ensino a boicotarem a Prova Brasil”. "A atuação dos sindicatos não tem sido somente irresponsável, mas criminosa. Pedir que alunos não façam uma avaliação para distorcer os dados reais sobre ensino e aprendizagem extrapola muito o limite da legalidade”, avaliou o demista.

Em conversa com o BNews, a diretora da APLB, Elza Melo negou que o manifesto tenha partido da APLB e reveliu que vai acionar Alexandre Aleluia juridicamente “para que ele prove as acusações contra a entidade”. “A APLB é uma entidade séria e responsável. Quem não é serio é o vereador Aleluia, que publica uma nota com impropérios. Exigimos que ele prove que o manifesto saiu da APLB, caso contrário ele será acionado na justiça”.

Elza Melo assinalou que o sindicato está em campo oposto ao do prefeito ACM Neto, mas que isso não representa que a entidade não vai boicotar a educação.

O site teve acesso ao manifesto e conversou com um dos coordenadores da articulação. Professor da disciplina ciência do Fundamental II, a fonte afirmou que ‘conseguiu um banco de dados com cinco mil contatos”.

Em determinados trechos do texto, o grupo intitulado “todos pela educação” se posiciona contra a APLB, além de pedir para que os professores não compareçam a assembleia do dia 18, pedem que os alunos boicotem a Prova Brasil, assinalando as questões de forma que seja lida sequencialmente a palavra babaca, numa referência ao prefeito ACM Neto.

Publicada originalmente dia 16 às 19h

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas