Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: tem prefeito que é o Sheik das Arábias

[Na Sombra do Poder: tem prefeito que é o Sheik das Arábias]
16 de Março de 2017 às 05:46 Por: Editoria de Política0comentários

Prefeito Sheik das Arábias...

De trio elétrico a máquinas de asfalto, tem um famoso prefeito que joga em todas as pontas no sul do Estado desafiando o Ministério Público. Nem mesmo seus mais ferrenhos adversários se atrevem a peitá-lo. É tanto poder que lembra o sheik das arábias... Ali Babá.

 

Barrados no baile

O tempo fechou durante a visita do ministro das Cidades, Bruno Araújo, para vistoriar as obras do metrô. Três vereadores foram barrados e impedidos de acompanharem a coletiva de imprensa no Palácio Thomé de Souza: foram eles Kiki Bispo (PTB), Felipe Lucas (PMDB) e Orlando Palhinha (DEM). Pelo que se sabe, foram ordens expressas do prefeito para que participassem do ato os deputados. O caso ficou feio.

 

O empresário que quer virar prefeito...

Um famoso empresário baiano conhecido por locar carros à maioria das gestões que passaram pelo Estado está alarmando por onde passa que quer ser prefeito da sua terra natal no baixo sul baiano. Detalhe: na cidade, ele nunca pisou e é tido como forasteiro.

 

Baixou a guarda

É, parece que os apelos dos vereadores que reclamaram da falta de atenção da prefeitura de Salvador foram atendidos. Informação chegada à coluna dá conta de que um almoço já fora marcado com a bancada para a próxima terça-feira no Salão Nobre da Câmara de Salvador. Resta saber se o prefeito ACM Neto (DEM) estará presente.

 

Amizade eterna

Chegou à coluna uma foto antológica. Do fundo do baú: hoje os inimigos mortais da política, o deputado estadual Marcell Moraes (PV) e a vereadora Ana Rita Tavares (PMB) juntos e em campanha. Ana Rita, em 2008, na primeira campanha do verde para a vereança, foi sua cabo eleitoral. Quem diria, hein?

 

Jogo duplo?

E na selfie do metrô quem apareceu muito contente no canto da foto foi o filho do vice-governador da Bahia, João Leão (PP), o deputado federal Cacá Leão (PP). Suspeita-se que a tentativa de aproximação é iminente. Muito feliz mesmo! Jogando nos dois times, será?

 

Isolado?

Para quem lembra do homem de Antas, sempre cheio de companhias, quase não conseguia deixar a Assembleia Legislativa sem ser assediado pelos políticos, assessores e puxa-sacos de plantão em seus tempos áureos, hoje parece que está tão isolado no seu canto...

 

Dois pra lá, dois pra cá

O deputado estadual Samuel Júnior (PSC) está se aproximando do Palácio de Ondina. Embora seu partido seja um dos aliados do prefeito ACM Neto em Salvador, o pastor da Assembleia de Deus tem se aproximado do governador Rui Costa. Interessante será acompanhar esse movimento e como será a tratativa do Palácio de Ondina.

 

Dois pesos e duas medidas

A dinâmica na política é interessante. Quando atrai o parlamentar do PSC não se ouve na rádio corredor nada a respeito da “exclusividade” exigida quando o fluxo é contrário. Explica-se: quando o PDT se aproximou de Neto na prefeitura chegou aos ouvidos dos dirigentes do partido que “um pé lá e outro cá” não rola. O PDT era aliado primeiro do governo. Agora, no contra fluxo, ao que parece, o barco pode ser tocado.

 

Briga

Os deputados estaduais Euclides Fernandes (PSL) e Prisco (PPS) protagonizaram uma cena bizarra durante a reunião da comissão de Direitos Humanos de terça-feira (14). Euclides queria trazer um jornalista venezuelano para falar sobre o país no colegiado, mas Prisco afirmou que o assunto deveria ser tratado na Câmara dos Deputados em Brasília por se tratar de algo internacional. Euclides não gostou. Partiu para cima de Prisco e o tempo fechou dentro da sala da comissão. A turma do “deixa disso“ interveio e acalmou os ânimos. Direitos Humanos à parte, quase que a reunião vira ringue.

 

Metrô

Interessante como as discussões sobre paternidade de obra são protagonizadas por agentes políticos. O metrô de Salvador, por exemplo, está agora em discussão. Prefeitura, alinhada ao governo federal, diz que é a União quem viabiliza. O governo, ex-aliado do governo federal, diz que quem tocou a obra foi Rui Costa. De fato a obra começou a andar quando o governador petista assumiu. Capitalização política à parte, a história de Salvador está maculada pelo castelo de areia criado quando do início da obra no final da década de 1990. Para cobrar uma investigação séria e estimular a vontade política para apurar os fatos nebulosos da época, não aparece um padrinho que seja.

 

Guerra em Camaçari

A solenidade de entrega de viaturas e equipamentos ao Corpo de Bombeiros e de assinatura da ordem de serviço da duplicação da Estrada da Cascalheira, em Camaçari, foi a mostra de que a briga eleitoral lá iniciada no ano passado ainda não terminou. O prefeito Elinaldo, do DEM de ACM Neto, aceitou compor palanque com Rui Costa (PT). A presença dele saiu cara para petistas como Luiza Maia, Luiz Caetano e Bira Coroa, que foram alvos de vaias, enquanto o democrata surfava na onda de pop star com o público.

 

Sob vaias

O ato político, pode assim se chamar, também saiu caro para o ex-prefeito Ademar Delgado. Um pouco camuflado atrás do palanque, foi vaiado todas as vezes que teve o nome mencionado. Rui Costa até tentou amenizar e disse que é comum as pessoas escolherem um Judas para atirar pedras. Ao ver que estava lançando um argumento espinhoso, o governador tentou consertar dizendo que não estava fazendo julgamento se o aliado foi bom ou mau gestor. A verdade é que a claque presente não engoliu o argumento.

 

Castro Alves da ALBA

O Plenário da Assembleia Legislativa da Bahia tem de um tudo! Nesta semana o deputado Aderbal Caldas (PP) resolveu declamar um poema durante a sessão ordinária da Casa. Jackson Costa que se cuide, se Caldas se animar, vai fazer no Plenário, ao vivo, na TV Assembleia, o Aprovado!, da TV Bahia. Detalhe: o tempo acabou e os espectadores pediram para continuar.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas