Esporte

Buscando apoiadores, torcedoras do Vitória realizam torneio solidário de futebol society

[Buscando apoiadores, torcedoras do Vitória realizam torneio solidário de futebol society]
10 de Novembro de 2018 às 10:46 Por: Divulgação Por: Redação BNews0comentários

As torcedoras do Esporte Clube Vitória entraram em campo mais uma vez para fazer o bem a quem mais precisa. O grupo Loucas pelo ECV, em parceria com o designer Matheus Vinicius, conhecido como MV de Paula, realizam no dia 9 de dezembro, a partir das 9h, mais uma edição do Torneio Solidário Loucas pelo ECV, na Arena Imbuí.

A competição de futebol society vai reunir 16 times masculinos, divididos em quatro grupos. Tendo como principal objetivo a arrecadação de donativos, o evento não tem fins lucrativos e segue em busca de patrocinadores. Toda arrecadação será destinada ao Lar Vida, localizado na Av. Aliomar Baleeiro Km 5, próximo ao Barradão.

Em contato com a reportagem do BNews, uma das diretoras do grupo, Marília Sena, afirma que mesmo com a competição prestes a ser realizada, ainda busca apoiadores. "Uma das nossas preocupações por exemplo é a questão da falta de ambulância. No ano passado, tivemos o caso de um jogador que se machucou e tivemos que usar carro particular para encaminhá-lo à UPA. Além disso, estamos também atrás de juízes para não ficar sobrecarregado para nenhum dos que já vão atuar", pontua.

A organizadora reforça que quem puder ajudar nessas e em outras questões, pode entrar em contato com o grupo através do perfil oficial do Instagram @loucaspeloecv . Já quem quiser contribuir com o Lar Vida pode realizar depósitos, de qualquer valor, nas contas da instituição:

Conta para depósito em dinheiro:
Banco Itau
Agência: 1510
Conta corrente: 36213-8

 

Lar Vida
É uma instituição civil, sem fins lucrativos, considerada de utilidade pública através de leis municipal, estadual e federal e registrada no Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS. Fundada em abril de 1985 pela socióloga Maria Cristina Cordeiro Caldas, que preside a casa até hoje, recebe, desde então, crianças deficientes sem família, encaminhadas pelo Juizado da Infância e Juventude.

A instituição abriga atualmente mais de 100 crianças, adolescentes e adultos com idades que variam de 0 a 35 anos, com várias deficiências, auditivas, visuais, Síndrome de Down, hidrocefalia, portadores de paralisia cerebral, deficiências múltiplas, psicóticos, com graves deformidades de face, entre outros casos.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas