Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Geraldo Júnior, o ceifador

[Na Sombra do Poder: Geraldo Júnior, o ceifador]
08 de Novembro de 2018 às 00:00 Por: Arquivo/BNews Por: Editoria de política0comentários

Geraldo Júnior, o ceifador

Fontes do BNews dão conta que uma rápida passada de lupa feita pelo presidente eleito Geraldo Júnior (SD) na folha de pessoal e em alguns contratos de fornecedores da Câmara Municipal o deixou de cabelo em pé. Segundo informações dos bastidores, o mais novo cacique da Casa do povo vai passar o rodo nos chamados cabides de emprego e em alguns “inflados” contratos que vão de insumos de limpeza a administração de sistemas.Tem muita gente graúda na estrutura de pessoal da CMS, até filhas e filhos de prefeitos importantes vizinhos a Salvador. A conversa é que o rodo vai passar.

Mudança de rota

Rosemberg Pinto (PT), o segundo mais votado nas urnas para deputado estadual nas urnas baianas, está com o nome correndo nos bastidores para ocupar um cargo no alto escalão do governador Rui Costa. Até aí, nada anormal. No entanto, quem ouve qual seria a pasta, se assusta. Seria o parlamentar realmente a opção do chefe do Palácio de Ondina para chefiar a Educação na nova gestão?
 

A farra dos vices

Findadas as eleições, chefes de poder na Bahia estão tirando um tempo para descanso ou viajando ao exterior a trabalho. Os vices foram quem gostaram da história. João Leão no Palácio de Ondina, Luiz Augusto no Palácio Luís Eduardo Magalhães, Bruno Reis no Palácio Thomé de Souza e Kiki Bispo no Paço Municipal estão de riso fácil.

Auxílio

ACM Neto (DEM), por sinal, antes de embarcar para a terra do Tio Sam, esteve na inauguração da Vila Jardim dos Namorados. Instado pelo BNews a falar do protesto dos rodoviários que ocorreu nesta terça, dia em que esteve em Brasília, o chefe do Executivo foi enfático ao dizer que não sabia o que ocorreu. Acionou seu secretário Fábio Mota, titular da Mobilidade, para rememorar o caso.

A espera I

No entorno do prefeito, as mudanças previstas para o secretariado ficarão para dezembro. O que se comenta é que o vereador Carballal (PV), hoje líder da bancada governista na Câmara, pode assumir uma secretaria na gestão municipal. A conferir.

A espera II

Por tabela, o posto de líder deve ficar, como já ventilado na imprensa, com Paulo Magalhães Júnior (PV). O verdista teria o aceno positivo do presidente eleito da Casa, o vereador Geraldo Júnior (SD).

Solidariedade

Com a suposta subida de Carballal, quem também sairia ganhando, mais uma vez, é Geraldo Júnior, pois o suplente que ocuparia a cadeira na Câmara é J. Carlos Filho, seu colega de partido. O partido do novo chefe do Legislativo, inclusive, deve ganhar novos integrantes em breve.

Correria paralela

Enquanto Rui tira um descanso lá pelas bandas de Israel, nas cercanias da baía de todos os santos correm acertos e desacertos envolvendo a disputa pela presidência da Assembleia Legislativa (AL-BA).

Corte na carne

Nos corredores da AL-BA, falando nisso, deputados andam às turras com o presidente eleito senador Angelo Coronel (PSD), que também se encontra em descanso no exterior. Além da implementação de forma antecipada do turnão por três meses, a tentativa de cortar a verba de indenização dos legisladores soou como um corte na carne e muita gente contrariada nessa reta final de Legislatura.

A batata

Luiz Augusto, que assume interinamente a gestão da AL-BA, pouco ou nada tem a fazer em meio às queixas dos colegas. Para piorar o quadro, ainda teve em suas mãos uma decisão judicial mandando suspender o concurso a pedido de candidatos que fizeram o certame de 2014. Em bom baianês, o pepista pegou uma batata quente.

Líder de quem?

A bancada de oposição no Legislativo baiano se articula para definir seu novo líder. Targino Machado (DEM), conhecido no Parlamento pelo tom ácido com que conduz seus posicionamentos, passou a adotar uma postura mais moderada e quer, porque quer, ser líder do grupo. Entretanto, a possibilidade não agrada a todos. A pergunta é: de quem ele será mesmo líder? Dele mesmo? Além dele, estaria sendo cotado o também democrata Alan Sanches.

Críticas

Pergunta que não quer calar: o que o governador Rui Costa tem achado das declarações de membros do PDT e do PSB sobre a derrota do PT na eleição presidencial? Na última semana, o pedetista Félix Mendonça Jr. defendeu a formação de um grupo de oposição sem o PT no Congresso. Segundo ele, o partido “não é parceiro de ninguém”. Já o socialista Domingos Leonelli atribuiu aos petistas a culpa pela vitória de Jair Bolsonaro (PSL), criticou os erros do PT na campanha e lamentou que o PSB não tenha apoiado Ciro Gomes (PDT). Como o próprio Rui chegou a sugerir uma coligação com o ex-governador cearense, talvez até ele concorde com os aliados em um momento de auto-crítica.

Ornamentação

Essa semana, forçaram a barra em Salvador. Não é que apareceu na calçada do Distrito Sanitário de Itapagipe um... vaso sanitário? Quando os funcionários da Secretaria de Saúde chegaram ao local para trabalhar nas primeiras horas desta quarta (7), se depararam com o ornamento, que logo foi retirado.

Procura-se

No sudoeste baiano, a cidade de Belo Campo vive fazendo a pergunta: cadê o prefeito? Quinho, como é conhecido Henrique Tigre (PSD), tem visto sua gestão ser cobrada por populares que questionam a redução de médicos no município e a ausência do poder público nas zonas rurais.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas