Repórter da CBN chora ao relatar manifestação ao vivo no Rio


Por Adelia Felix (Twitter: @adelia_felix)

O último final de semana foi marcado por protestos em algumas cidades do Brasil. As ruas do Rio de Janeiro, próximo do estádio do Maracanã, voltaram a ser palco de protestos contra os aumentos dos transportes e também contra os investimentos feitos pelo governo federal e governos estaduais para a realização de mega-eventos esportivos, como é o caso da Copa das Confederações.
 
Um dos destaques da manifestação que teve grande repercussão nas redes sociais foi o repórter da rádio CBN, Genilson Araújo, que em uma entrada ao vivo durante a transmissão do jogo entre Itália e México, relatou de forma emocionada o momento em que a polícia e manifestantes entraram em confronto na estação São Cristóvão, que fica próxima ao Maracanã.
 
O radialista contou que a manifestação seguia de forma pacífica até a ação do batalhão de choque, que tentou dispersar cerca de 500 pessoas com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. "Não houve, por parte, pelo menos dos estudantes, qualquer ato de agressividade. Eles paravam quando a polícia fazia bloqueio e tentavam por outra via e assim faziam. Quando, de repente, apareceu um grupo do batalhão de choque disparando bombas de efeito moral, com cachorros e bombas de gás lacrimogêneo, dispersando essas pessoas", disse.
 
Alguns minutos depois, ainda na zona de conflito, Genilson voltou ao vivo para explicar o ocorrido. "Estamos aqui em uma batalha que só tem um lado atacando, que é o lado do batalhão de choque. Não satisfeitos em afastar os manifestantes do entorno do Maracanã, alguns pelotões permanecem acompanhando os manifestantes que buscaram refúgio na Quinta da Boa Vista, tradicional área de lazer aqui no Rio de Janeiro. Muitas crianças, muitas pessoas idosas. Os policiais ameaçaram entrar com bombas de gás lacrimogêneo quando receberam apelos dos jornalistas para que não entrassem. Eles acabaram acatando", colocou.
 
Policiais do Batalhão de Choque da Policia Militar (PM) do Rio de Janeiro lançaram, domingo (16), bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta para impedir o avanço de uma manifestação organizada por meio de redes sociais, noticiou a Agência Brasil.
Segundo a Polícia Militar, o protesto reuniu cerca de 500 pessoas próximo ao Estádio do Maracanã , na zona norte do Rio, onde  foi disputada a partida entre o México e a Itália pela Copa  das Confederações. Ouça o áudio.

 

COMENTAR

* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

Windows Media Player Winamp QuickTime Real Player

RELACIONADAS

Esporte

Perto do Bahia, Alexandre Faria diz que teve sondagens de mais três clubes

Esporte

Apesar de interesse do Vitória, Luiz Gustavo não deve permanecer na Toca do Leão

Política

Solidariedade marca território na gestão de ACM Neto

Política

Projeto do governo pode acabar com lazer na ‘Prainha’

Política

Zé Neto tem encontro reservado com futuro governador Rui Costa