Juiz deu liminar sem ouvir a prefeitura, reclama Mota sobre suspensão do BRT


Por Redação BNews | Fotos: Arquivo//BNews

O secretário de Mobilidade de Salvador, Fábio Mota, reclamou que o juiz de direito Ruy Eduardo Almeida Britto, da 6ª Vara da Fazenda Pública da capital baiana, não ouviu a prefeitura ao expedir a decisão liminar que suspendeu a licitação do BRT a pedido da empreiteira OAS.

Segundo o titular da Semob, a queixa da OAS foi de que não obteve resposta da prefeitura para um questionamento apresentado à comissão de licitação. No entanto, argumenta Mota, a mesma interpelação já havia sido feita por outra empresa e respondida pela comissão. Para além disso, de acordo com o secretário, o pleito da empreiteira foi apresentado já com o prazo expirado.

"A procuradoria do município já entrou com agravo de instrumento contra a liminar e estamos aguardando o julgamento", disse Fábio Mota ao BNews.

Agora, a torcida da prefeitura é para que a Justiça delibere o quanto antes o imbróglio. "Se a liminar não cair, pode prejudicar o andamento do processo licitatório", ressalta o secretário.

No total, dez empresas apresentaram propostas de interesse na execução do projeto do primeiro trecho do BRT, que possui orçamento de R$ 408 milhões. 

Notícia relacionada:

Licitação do BRT de Salvador é suspensa pela Justiça a pedido da OAS

COMENTAR

* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

RELACIONADAS