Prefeitura de Feira e Governo estão em pé de guerra por organização da Micareta


Por Victor Pinto | Fotos: Reprodução

A mesma guerra travada entre Governo do Estado e prefeitura que acontece no Carnaval de Salvador, no quesito da organização e do prestígio, acontece também atualmente na segunda maior cidade da Bahia, Feira de Santana. 

O carnaval fora de época, sob responsabilidade da prefeitura, que tem como cacique José Ronaldo (DEM), acontece entre os dias 18 e 21 deste mês.

O governo, no entanto, que também levou a ideia do Carnaval que comemora a tropicália, responde pela parte de segurança e saúde.

O caso foi comentado pelo vereador da base de Ronaldo na Câmara, Lulinha (DEM). Ao BNews, o democrata acusou o governo de se aproveitar da folia momesca.  “Lamento que o governo do Estado não ajuda em nada a micareta de Feira de Santana e fica fazendo divulgação como se eles tivessem fazendo micareta. Policiamento é coisa normal, é dever e obrigação do estado, principalmente em eventos grandes”, afirmou.

Lulinha ainda lembrou que em Salvador, o Estado investe em bandas provendo o Carnaval do Pelourinho. “Feira de Santana tem uma micareta tradicional, a primeira e uma das maiores do país. E o governo do Estado não ajudou em nada o prefeito José Ronaldo como sempre, para contratação de bandas, principalmente pela crise e com o recuo dos blocos, precisávamos do apoio do Estado para contratação de bandas”, apontou.

Principal defensor de Rui Costa (PT), inclusive foi adversário de urna de Ronaldo e exerce a função de líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Zé Neto (PT), rebateu as declarações do rival político.

“O governo do estado não participa mais, porque a festa é muito desorganizada, uma tragédia. Não tem divulgação de outdoor na BR-324 e em nenhuma outra rodovia. Não existe nenhum projeto enviado para a Bahiatursa, então o governo do Estado não participa mais porque não é solicitado. Mas quando diz que faz a micareta, não quer ser dono da festa. A festa é feito pelo povo, pelo Estado, pelo município O vereador deveria se preocupar em cobrar do município empenho na micareta. Achei que ele iria elogiar o apoio do governo do estado, essa crítica é completamente descabida”, afirmou.

Zé Neto lembrou da questão da segurança pública. “Há um empenho do governo do Estado na micareta. A violência pública afastou as pessoas da micareta e desde o governo Wagner sempre demos total atenção a segurança pública. Mais de seis mil profissionais, investimentos que só nessa área ultrapassam os R$ 6 milhões de reais”, disse.

O petista ainda enumerou outros serviços que ficarão disponíveis na festa e serão custeados pelo Estado. “Será disponibilizada pelo governo do estado uma delegacia da mulher, para atuar em defesa da lei Maria da Penha; um complexo do Detran dentro do circuito oficial, um núcleo de proteção aos crimes de homofobia e demais formas de preconceito.  E a na área da saúde, faremos plantões dobrados, para atender a demanda da micareta sem afetar as demandas do cotidiano do município”, enumerou. 

Publicado originalmente em 18/05 às 21h08

COMENTAR

* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

RELACIONADAS

Política

'País não nasceu para ser a merda que é', diz Lula na Bahia

Turismo

Salvador sedia encontro de secretários e dirigentes Municipais de Turismo

Polícia

Ataque de homens armados deixa um morto e outro ferido em Feira de Santana

Política

 Líder do governo diz que "Neto vai receber rebordosa” e não será candidato

Política

Zé Neto atribui à oposição derrubada de sessão para travar pauta na Alba