Vereador do DEM pedirá explicações sobre uso de Parque de Exposições pelo MST


Por Victor Pinto | Fotos: Arquivo Bocão News

O evento do MST que trouxe o ex-presidente Lula (PT) a Salvador deve gerar polêmica após a sua realização. De acordo com nota enviada para a imprensa, o líder do DEM na Câmara de Salvador, Alexandre Aleluia (DEM), afirmou que vai protocolar uma representação junto ao Ministério Público para que seja averiguado em que condições o Parque de Exposições, na Paralela, foi cedido para a realização do 29º Encontro Estadual do MST.

"Foi noticiado que esta cessão do espaço ocorreu de forma gratuita para um evento com claros fins políticos. O Parque de Exposições é mantido pela Secretaria Estadual da Agricultura e precisamos saber o que levou a esta prática que fere o princípio da impessoalidade na administração da coisa pública", disse Aleluia.

"Nesse evento, o líder do MST, João Stédile, convocou o movimento para invadir prefeituras como forma de barrar a reforma da previdência. Não é certo que o contribuinte pague por isso", opinou o vereador de Salvador, conforme a nota. 

COMENTÁRIOS

Amilcar Baiardi - 12/01/2017 - 11:23
Este não é o primeiro caso e nem será o último no qual se mistura o público com o privado e se abstrai conflito de interesses. Gostando-se ou não de Donald Trump, ele começa dando uma lição de separação entre as esferas público e privada. Delegou aos herdeiros a gestão dos seus negócios e estabeleceu que sequer tomaria conhecimento de novas ações, investimentos, acordos etc. Também afastou a mulher, a primeira dama Ivanka, de qualquer atividade que sugerisse que seu papel poderia influenciar em benefício para a corporação Trump.

Carregar mais comentários.

COMENTAR

* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

RELACIONADAS

Política

PT cogita possível condenação de Lula na Lava Jato

Política

Lula diz ver espaço para diálogo com FHC, mas refuta conversa com Temer

Política

Lula confirma candidatura à Presidência em 2018