Rui Costa pode anunciar reforma administrativa até sábado


Por Luiz Fernando Lima

O governador Rui Costa vai tirar do papel a reforma administrativa que vem sendo talhada no Palácio de Ondina desde outubro do ano passado. Os prazos para o anuncio das mudanças foi alterado em algumas ocasiões devido a necessidade de alinhar os interesses da base aliada.

A intenção do petista era iniciar 2017 já com o novo “time” atuando, contudo, as costuras não avançaram e se postergou, inicialmente, para depois da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. Novamente, Rui Costa mudou o cronograma e a “dança das cadeiras” acontece até a próximo sábado (14), conforme apurado pela reportagem.

Esta semana, portanto, será de fechamento das conversas com os partidos aliados. Muitas prováveis mudanças já foram anunciadas e de fato devem ser consumadas, entretanto, vale ressaltar que Rui Costa manterá o “núcleo” econômico do estado intocável.

Isso quer dizer que Casa Civil e secretarias de Administração; Fazenda, Desenvolvimento Econômico e Planejamento não devem ter mudanças nas chefias. A possiblidade de Bruno Dauster (Casa Civil) deixar a pasta foi descartada. Jorge Hereda (Desenvolvimento Econômico) também será mantido. Edelvino Góes (Administração) e Manoel Vitório (Fazenda) também ficam.

Dito isso, as pastas que serão oxigenadas, como definem os prepostos governistas, são: Relações Institucionais; Trabalho, Emprego, Renda e Esporte; Desenvolvimento Rural; Agricultura; Ciência, Tecnologia e Inovação; Desenvolvimento Urbano; Cultura; Meio Ambiente; e Política para Mulheres.

Já as secretarias de Segurança Pública; Comunicação; Educação; Saúde; Turismo; Igualdade Racial; Justiça, Cidadania e Direitos humanos; Administração Penitenciária e Infraestrutura não terão mudanças significativas no comando.

No entanto, é possível que na de Justiça haja alteração dentro do mesmo campo político. Geraldo Reis é membro da corrente petista Reencantar, a mesma de Rui Costa, e dela também participam muitos petistas de Vitória da Conquista. Com a derrota na eleição municipal, após 20 anos de gestões petistas, existe uma possibilidade de algum quadro de lá vir ocupar espaços na pasta.

Outros cargos — Ainda não estão definidas as mudanças nas empresas, agências e outros espaços no segundo escalão de governo. Dentro da estrutura da Saeb, por exemplo, ainda existem especulações sobre uma eventual saída do diretor do Detran, Lúcio Gomes Barros Pereira.


A Superintendência de Proteção e Defesa Civil também terá alteração. O atual superintende, Rodrigo Hita (PSB), será alçado à chefia de Gabinete da secretaria de Ciência Tecnologia. Ainda não chegou a este site quem será o substituto.

A Conder é um capítulo à parte nesta construção de novo cenário. A companhia foi pedida pelo PSD, mas os petistas resistem em passar o espaço, neste sentido, atualmente há uma busca por um nome que contemplo os dois campos.

Mudanças — Embora sempre haja a possiblidade de mudanças antes da publicação em Diário Oficial dos nomeados para os novos cargos o mapeamento apurado pela reportagem do Bocão News foi possível após ouvir diversas fontes governistas.

Alguns nomes já circulam na imprensa baiana como possíveis substitutos.

Josias Gomes deve deixar a Serin e ser redirecionada para a Secretaria de Desenvolvimento Rural. Atualmente, a pasta é chefiada por Jeronimo Rodrigues, petista histórico e membro da corrente interna Democracia Socialista. Josias é deputado federal licenciado e existe um acordo com o PCdoB para manter Davidson Magalhães na Câmara dos Deputados.

Os comunistas estão à frente de outras mudanças. Olívia Santana tem 90% de chances de ser transferida para a Setre. O ex-deputado estadual Álvaro Gomes ainda não sabe para onde vai. O fato é que sairá do comando da secretaria. O problema para o PCdoB agora é encontrar um nome de consenso para o lugar de Olívia na de Políticas para Mulheres.

Vitor Bonfim, deputado estadual licenciado, é um nome que resistiu às primeiras críticas direcionadas a ele, mas que, segundo apurado, deve ser substituído neste momento. A pasta ainda ficará sob a tutela do PDT.

O PSB da senadora Lídice da Mata ganhará espaço na gestão estadual assumindo o comando da Secretaria de Ciências e Tecnologia. José Vivaldo Souza de Mendonça Filho é o indicado pelo partido para o lugar de Manoel Gomes de Mendonça Neto. Manoel é primo de Félix Mendonça, deputado federal e presidente do PDT na Bahia, contudo, não é da cota do partido e tampouco pessoal de Félix.

O PSD deve confirmar a indicação de José Muniz Rebouças, ex-Codeba, para o lugar de Carlos Martins (PT) na secretaria de Desenvolvimento Urbano. Martins ficará no governo, mas ainda não tem destino certo. A ida para Casa Civil como chegou-se a especular foi descartada. Dauster fica.

Jorge Portugal é outro nome que está na lista de corte do governo. No caso desta pasta o que se diz é que Juca Ferreira, ex-ministro da Cultura, deve ser o titular. A mudança é menos por Portugal e mais por Ferreira.

Um dos nomes que aparecem na mais recente lista de corte é o do secretário do Meio Ambiente Eugênio Spengler. Alçado ao posto de secretário em abril de 2010, Spengler foi ficando e, ao que parece, será substituído nesta nova etapa de gestão petista.

Sobre a Serin, embora descartada inicialmente, há uma pressão nos bastidores da base governista para que Jaques Wagner assuma a função de Josias Gomes. Na função de coordenador do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o ex-ministro de Dilma também discute as relações políticas, contudo, um grupo de aliados defende a entrada efetiva de Wagner na gestão.

O problema desta escolha é que um dos argumentos utilizados para que não fosse criada uma secretaria específica para abriga-lo no retorno à Bahia foi de que Wagner não estava preocupado com Lava Jato ao ponto de necessitar de foro privilegiado, além das despesas. Este seria, sem dúvidas, um dos pontos explorados pela oposição para questionar a “tranquilidade” do ex-governador.

Publicada originalmente em 10/01 às 15h14

 

COMENTAR

* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

RELACIONADAS

Política

Rui Costa nega boicote ao jornal Correio

Política

300ª viagem: Rui reúne 19 deputados e 27 prefeitos

Política

Rui completa 300 viagens e diz que reeleição é consequência do trabalho

Política

Rui promete mudanças no secretariado ainda neste ano