Militares acrescentam mais um item na pauta de reivindicação


Por Alessandro Isabel

O comando do movimento grevista da Polícia Militar da Bahia, após ter diminuído a lista de exigências para que a paralisação seja concluída e que a Assembleia Legislativa, ocupada por manifestantes desde a terça-feira (31), seja liberada, resolveu colocar, na tarde de hoje (7), mais um item na pauta de reivindicações.
 
Os militares afirmam que só terminam a greve se o governador do estado, Jaques Wagner, reintegrar o líder do movimento e presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), entidade que deflagrou o movimento, Marco Prisco, ao quadro da Polícia Militar.
 
Prisco foi expulso da corporação em janeiro de 2002 após liderar a greve da PM em 2011. Na oportunidade o movimento durou 13 dias. A pauta de reivindicações, que inicialmente listava seis itens, como incorporação de gratificações aos salários e regulamentação para o pagamento de adicionais, como de periculosidade e acidente, foi reduzida.

COMENTÁRIOS

LIVALDO SAMPAIO - 22/04/2014 - 15:50
Os policias tem o direito de reivindicar porem não pode prejudicar pessoas trabalhadoras que precisam ir ao trabalho.Já virou bagunça.
Roberto - 08/02/2012 - 09:25
Gostaria de saber do exmº sr Governador porque do contra-cheque do sargento foi usado por V.Excia na sua campanha politica.
Neiva - 07/02/2012 - 14:29
Agora o Sr. Ex. Governador do Estado da Bahia vai aprender a respeitar a Polícia Militar do Estado da Bahia.
Eduardo - 07/02/2012 - 14:23
Uma reivindicação mais do que justa.Parabéns militares.
Victor - 07/02/2012 - 14:21
Zé Mais Pessoa Morta Agora a Pouco em Feira De Santana.Bairro:Gabriela.
Luiz Eduardo Gonzaga Buffone - 07/02/2012 - 14:15
Agora srs. ficou bem mais claro do que eu já previa, o objetivo maior dêsse Sr. que atende pelo nome de Marco Prisco foi desestabilizar a sociedade baiana, promovendo êste verdadeiro absurdo para fazer com que a classe dos policiais do estado da Bahia, que reputo sejam de boa indole fossem arrastados para um levante em prol unica e exclusivamente para atender ao seu maior anseio. O de voltar a ser imcorporado e pelo que conheço das leis êle não deverá lograr êxito. continuará excluido pois o processo é para ser julgado pelo tribunal de justiça, pois o governador não tem competência para abortar o processo que ja esta no forum da justiça. Ademais não foi o atual governador que o excluio da corporação.

Carregar mais comentários.

COMENTAR

* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

Windows Media Player Winamp QuickTime Real Player

RELACIONADAS

Política

Segundo escalão de Rui estará em pauta na reunião com secretários nesta terça

Polícia

Mulher morre ao cair de prédio no CAB

Polícia

Em blitz na Av. Luis Eduardo, três homens fogem, mas são alcançados pela PM

Polícia

Medeiros Neto: homem que matou capitão da PM morre em troca de tiros

Polícia

Capitão da PM é morto após discussão em bar