Eron diz que foi surpreendida sobre convite para Semps e desconversa sobre 2018

Por Victor Pinto

Eronildes Vasconcelos tem o apelido de Tia Eron. É defensora da emancipação da mulher na política com unhas e dentes, tanto, como se fala nos bastidores, ajudou a pavimentar as eleições de Ireuda e Rogéria Santos à Câmara de Salvador, ambas do PRB. Política, vereadora de quatro mandatos no legislativo soteropolitano, Eron zarpou para Brasília em 2015 como deputada federal tendo o aval de 116.912 eleitores.

Como presidente do PRB estadual fez o partido crescer no Estado e desenvolver musculatura, seja no trato com as principais lideranças políticas baianas, como o prefeito ACM Neto (DEM) e o governador Rui Costa (PT), seja no nível de cobertura dos diretórios - mais de 90% das cidades -, ou até mesmo na busca por espaço político – quando enfrentou o prefeito pela vaga de vice na chapa de 2016 a prefeitura de Salvador .

Agora é a nova secretária de Promoção Social e Combate a Pobreza (Semps), cargo que lhe fora convidado e confiado pelo chefe do Palácio Thomé de Souza. Tal fato, para ela, foi classificado como uma “surpresa”.

Entre um compromisso e outro do movimentado gabinete localizado na região da Avenida Tancredo Neves em Salvador, a política, dona da frase “ninguém manda nessa nêga aqui” – ao discursar antes do voto favorável no Conselho de Ética pela cassação do deputado Eduardo Cunha -, recebeu o Bocão News para um rápido e exclusivo bate-papo sobre política, a secretaria, o PRB e, apesar de desconversar na resposta, a eleição de 2018 com espaço na majoritária.

Confira a entrevista:

Bocão News:  Como partiu o convite do prefeito ACM Neto (DEM) para você assumir a secretaria de Promoção Social? Houve algum tipo de pressão, por parte do PRB, para você assumir esse espaço?

Tia Eron: Não. Muito pelo contrário. O partido foi surpreendido pelo convite e pela pasta. Ele [Neto] já veio dizendo: eu quero Tia Eron nessa pasta. Bem claro e pragmático do jeito que ele é.

Bocão News: Então a conversa foi tranquila...

Tia Eron: Essa conversa... Por exemplo, Neto fez em vários momentos. Como se tratava de uma deputada federal, presidente de um partido, aonde não se torna secretária por si mesma... Eu não posso me tornar secretária por mim mesma. Então precisou ouvir o grupo, a base, o próprio líder da sigla, o ministro Marcos Pereira [presidente nacional do PRB].

 

"É pra subir, eu vou subir. Tô pronta! É pra descer, eu vou descer, não tem dificuldade"

Sobre sair da Câmara Federal, em Brasília, e voltar para Salvador
 

Bocão News: Esse ano você teve destaque no noticiário político e na Câmara Federal, por conta do mistério, do seu discurso e do seu voto decisivo a favor da cassação do deputado Eduardo Cunha (PMDB) no Conselho de Ética. Após esse período sua visibilidade cresceu. São dois anos de mandato como deputada. Vem a pergunta: foi difícil sair da Câmara, em Brasília, e voltar para Salvador para ser secretária?

Tia Eron: Nada. Com a maior facilidade. Quando a gente se coloca a disposição, sabe, entende e tem consciência de como é e quem é um bom político não tem dificuldade para isso não. É pra subir, eu vou subir. Tô pronta! É pra descer, eu vou descer, não tem dificuldade nenhuma quanto essa situação.

Bocão News: E como você lida com as especulações de que a sua volta para Salvador faz parte de uma articulação de vaga garantida na majoritária em 2018? Tem gente que já trata você como pré-candidata a vice-governadora...

Tia Eron: (gargalhadas) Eu acho isso super interessante. Sabe por que? A gente pode fazer um mundo de planos, mas a resposta certa quem dá é Deus.

Bocão News: Como já caminha a transição da Semps?

Tia Eron: A todo vapor. Dormindo às três da manhã. No zap sendo inconveniente. Sete horas da manhã já é horário atrasado... Tivemos até uma reunião de secretariado nesta semana e pelo que percebi nesse encontro do primeiro escalão que Neto fez, restrita, fechada, você tinha um ex-governador, dois ex-ministros, você tem uma ex-reitora com uma simbologia importante em Salvador que é a professora Ivete Sacramento, você tem ex-prefeitos, agora dois vereadores, um ex-deputado estadual como vice e euzinha como deputada federal. Então é um senhor staff que o prefeito monta. É uma demonstração clara do que ele quer fazer pela cidade. Demonstração clara de respeito. De uma forma mais organizada, centrada e cartesiana. Momento de consolidar e dar uma nova roupagem a prefeitura. Imagine que ele pegou do jeito que ele pegou e fez no que fez e imagine agora, sendo que mais de 90% das obras foram de recursos próprios... Pela primeira vez o Carrera [secretario da Casa Civil] apresentou que a prefeitura faz a primeira arrecadação a nível internacional... Quer dizer, isso tem peso de retorno para a cidade e vai transformar a vida das pessoas.

Bocão News: Apesar desses cenários e sinalizações de recursos e investimentos, você passa por um período de contingenciamento do orçamento. Isso se falou na reunião. Neto já deixou a cartilha pronta?

Tia Eron: Ele falou. É necessário. Os recursos, neste primeiro momento, já chegam contingenciados. Depois que eles de fato serão liberados. Mas nada que venha impedir o trabalho e as ações da secretaria e nem da gestão como um todo.

Bocão News: Você tem uma relação próxima e já falou abertamente que é amiga do ex-vereador, seu ex-colega de Plenário Cosme de Farias, e hoje governador Rui Costa (PT). Como está a relação com Rui hoje em dia?

Tia Eron: Tem um bom tempo que não vejo o governador... Tô sem tempo (risos).

Bocão News: Mas é amena ou não?

Tia Eron: Sempre foi muito tranquila. Sempre foi...

Bocão News: E para encerrar: partido. 2016 foi um ano de musculatura para o PRB, como políticos dos bastidores salientam. 2017 é um ano no qual prefeitos e vereadores da agremiação tomam posse e começam seus novos mandatos. Como está o partido? Qual a perspectiva que se tem em relação à sigla?

Tia Eron: Uma das metas que não conseguimos cumprir, mas que tava posta, era fechar em 100% a cobertura do partido nos municípios baianos. Graças a Deus faltamos somente umas 20 cidades. Finalizamos o ano com 98% de diretórios abertos na Bahia. A partir do momento que você faz isso, você volta para passar uma peneira. Rever esses presidentes. O PRB não é partido de se colocar debaixo do braço como desodorante, sem perspectiva de crescimento. Eu penso que esse ano de 2017 vai abrir uma larga temporada de mudanças partidárias de prefeitos . O PRB está focado nisso e já montamos uma equipe para recepcionar esses novos nomes que com fé em Deus migrarão para o PRB. O outro momento é a nossa preparação de calendário para propaganda eleitoral abrindo para onde tiver um detentor de mandato ele aparecer em nossa publicidade eleitoral. Isso é uma forma de atender e fortalecer o nossos vereadores eleitos, do grupo de deputados e prefeitos. 

MAIS ACESSADAS